1.Meu filho não vai confundir as duas línguas?

Não há confusão, pois as diferentes línguas ficam armazenadas em partes distintas do cérebro. Inicialmente a criança mistura os dois códigos (code mixing) até que adquira competência na segunda língua e passe a trocar de um código para outro quando o contexto assim o requerir (code switching).

2. O português do meu filho vai ficar prejudicado?

Não há prejuízo algum para a língua materna, pois morando no Brasil o tempo de exposição ao português é muito maior do que ao inglês. De qualquer forma, a escola fica atenta e toma os devidos cuidados quanto a distúrbios de linguagem e alfabetização.

3. Qual a idade ideal para se aprender uma segunda língua?

Quanto menor a criança, mais rapidamente ela aprende, pois possui menor vivência da língua. Ela vem para a escola para brincar e acaba aprendendo o inglês sem esforço. É um aprendizado eficaz, pois a criança pequena possui habilidades mais generalizadas, não se importa em cometer erros e se comunica com mais desenvoltura.

4. E se a família não falar inglês em casa?

Não há problema. Entretanto, se os responsáveis têm conhecimento da língua, podem se comunicar com a criança sem constrangimento, ainda que a pronúncia não seja perfeita. Na escola, ela estará em contato com bons modelos de linguagem, o que garantirá o aprendizado e a pronúncia corretos.

5. A educação bilíngue funciona bem para crianças que apresentam dificuldades de aprendizagem?

Geralmente não há obstáculos para o aprendizado de uma segunda língua. O bilinguismo é comum hoje em dia e grande parte da população mundial é bilíngue ou até multilíngue. Entretanto, isso não significa que no desenvolvimento da linguagem as habilidades sejam iguais nas duas línguas; nesse sentido, especialistas concordam que no aspecto cognitivo sempre uma das línguas é a dominante. Se uma criança encontra dificuldades de aprendizagem, provavelmente não é devido à educação bilíngue. Tomamos os devidos cuidados para que qualquer dificuldade de aprendizagem tenha o acompanhamento e encaminhamento a um profissional especializado.

6. Como funciona o período de adaptação de um aluno novo?

O período de adaptação é um momento de grande importância. É para o aluno e para os pais um desafio, uma ruptura na rotina da criança, que se separa da família por um longo tempo e conquista um espaço que é só seu. A escola ainda é desconhecida: as pessoas e espaço físico novos e em parte do dia a língua é diferente. Os laços afetivos ainda não estão estabelecidos e será preciso tempo e tranquilidade para isso acontecer. Fazemos desse período um momento de muito acolhimento, transmitindo confiança e segurança aos envolvidos.